Críticas e aplausos a Carlito

Oposição na Câmara alega que decisão foi eleitoreira. Situação diz que é preciso reconhecer o que é bom

O não-reajuste da passagem de ônibus em Joinville neste ano dividiu a opinião dos vereadores na sessão da Câmara de ontem. Enquanto a oposição, liderada por Odir Nunes (DEM), creditava a decisão do Carlito Merss (PT) a uma medida eleitoreira, Marcos Fernandes (PT) pedia que todos os parlamentares aplaudissem a decisão do prefeito. A troca de farpas foi áspera, mas curta.

Na semana passada, técnicos do Seinfra indicavam que o aumento poderia ficar em até R$ 2,55. O pedido das empresas Gidion e Transtusa era para que a passagem de ônibus passasse de R$ 2,30 para R$ 2,65. Carlito anunciou na segunda-feira que não daria nenhum reajuste e estipulou janeiro de cada ano como data de negociação com as empresas de transporte.

A oposição entendeu isso como uma prática demagoga para que não haja arranhões nas candidaturas da base governista nas eleições deste ano. “Os amigos do rei conclamaram que se houvesse aumento da passagem de ônibus, suas campanhas para as eleições de outubro seriam prejudicadas. Por isso, não houve reajuste”, criticou Odir. O vereador lembrou que Carlito chamou Tebaldi de demagogo por não ter dado aumento em 2008, ano eleitoral.

Na bancada do governo, a resposta veio rápida. “O choro é livre. A oposição precisa se render. É preciso ter caráter e não ter medo de reconhecer o que é bom”, rebateu Marcos Fernandes. O vereador petista ainda prometeu que está preparando uma moção de parabenização ao prefeito Carlito e que a moção deveria ter a assinatura de todos os parlamentares.

Juarez Pereira (PPS) debochou da iniciativa do líder da bancada petista. “Faremos uma moção quando o prefeito vir aqui em plenário prometer que não vai aumentar mais a água”, ponderou, em referência ao recém-aprovado aumento da tarifa de água.

Comentários

Engraçado pensar que Carlito desdenhou o não aumento da mesma tarifa de ônibus quando Tebaldi era prefeito e agora repete o mesmo ato, também em ano eleitoral. Por que não o fez ano passado?
Sobre a moção mais parece uma piada mesmo, digna de deboche do vereador Juarez Pereira. Fazer algo pelo bem do povo nada mais é que obrigação do prefeito. Se cada cumprir aquilo que é de sua competência, deveriam fazer moções para elogiar os policiais, quando prendem um assassino, garis, quando limpam a rua, ou mesmo um jornalista por fazer uma reportagem.

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil