Prefeitura de Joinville sinaliza a tarifa de ônibus até R$ 2,55

Este deve ser o valor que a Seinfra vai apresentar na reunião desta quinta com as empresas de ônibus de Joinville

João Kamradt | joao.kamradt@an.com.br

A Prefeitura de Joinville deve apresentar nesta quinta na mesa de negociações o valor de R$ 2,50 a R$ 2,55 como contraproposta para o pedido de aumento na tarifa da passagem de ônibus feito pelas empresas Gidion e Transtusa.

A equipe técnica da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) chegou a esse número depois de analisar algumas informações. O preço fica abaixo dos R$ 2,65 pedidos pelas empresas que detêm a concessão. Mas ainda fica acima dos 5,30% referentes à inflação dos últimos 12 meses. Se levar em conta esse percentual, a tarifa ficaria em R$ 2,42.

No ano passado, as empresas pediram 17% de aumento, seguindo a planilha de insumos. Mas o prefeito Carlito Merss ignorou a orientação técnica e pagou 12,2% referentes à inflação do período. Nesta quinta, em reunião no gabinete do prefeito, com presença do Ippuj e Seinfra, pode sair a nova tarifa.

Nos cálculos da Seinfra, o valor deverá ficar em R$ 2,52, podendo, no máximo, chegar a R$ 2,55. Isso vai depender de qual reajuste as empresas de ônibus vão conceder aos funcionários. A primeira das divergências dos técnicos da Seinfra está no fato de as empresas já incluírem um valor de reajuste que ainda será concedido aos funcionários.

O Sindicato dos Empregados das Empresas de Ônibus pediu 10% de aumento para a Gidion e Transtusa, índice que foi repassado na planilha – mesmo que o reajuste ainda não tenha sido dado ou discutido com a categoria.

Nesse ponto, os técnicos da Seinfra argumentam que, como ainda não foi concedido nenhum aumento, o cálculo ainda pode variar. Mas caso não haja reajuste dos funcionários, nas contas dos técnicos do Seinfra, o passe de ônibus já baixaria dez centavos do pedido feito pelas empresas: ficaria em R$ 2,55.

O segundo fator é o tempo de análise utilizado. Na planilha entregue pela Gidion e pela Transtusa, foram computados os passageiros pagantes de fevereiro de 2009 até janeiro de 2010. Já na conta da Prefeitura, entram os meses de abril de 2009 até março de 2010.

Com isso, na época utilizada pelos técnicos da Seinfra, há um maior fluxo de passageiros do que na utilizada pelas empresas. Isso faz o valor reduzir mais um pouco. Ainda não há definição de quanto ficará o preço da tarifa embarcada.

Fonte: AN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil