Eleições 2010: Vale tudo por Dilma Roussef


A aproximação do prazo legal para a definição de candidaturas tem demonstrado o que já dizemos a algum tempo: a completa descaracterização do projeto do Partido dos Trabalhadores (PT). Com o objetivo primordial de eleger Dilma Roussef à presidência da república, a cúpula do PT não tem medido esforços para transformar antigos inimigos em aliados, conciliando, muitas vezes, interesses qque eram, até pouco tempo, inconciliáveis.

Santa Catarina é um bom exemplo. No dia 28 de abril, o Diário Catarinense publicou uma imagem onde, na mesma mesa, sentavam Ideli Salvatti e Dilma Roussef, de um lado, e Angela Amin do outro. Como disse o amigo Afrânio Boppré em seu twitter, a imagem "é a aliança dos torturados com os torturadores", referindo-se aos lados opostos em que Ideli e Angela estavam durante a ditadura militar.

Mas não é só por aqui que a coisa anda mal. Reportagem do Estadão on-line de hoje atesta que há problemas políticos graves na Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O jornal omitiu Alagoas, onde Fernando Collor (PTB) declarou-se candidato e espera apoio de Lula e Dilma para se eleger.


Abaixo, a íntegra da lista publicada pelo estadão sobre os problemas nos Estados. Leia a matéria completa aqui.

Maranhão
Lula entrou em campo para obrigar o PT do Maranhão a apoiar a candidatura da governadora Roseana Sarney (PMDB). Antigo adversário da família Sarney, o PT decidiu se aliar ao deputado Flávio Dino (PC do B). Mas uma ala do partido, com cargos na equipe de Roseana, promete rever a decisão.

Pará
Para apoiar a reeleição da governadora Ana Júlia Carepa (PT), o deputado Jader Barbalho (PMDB) quer reconquistar cargos estratégicos. Em rota de colisão com Ana Julia, Jader flerta com os tucanos e ameaça lançar seu sobrinho, José Priante, ao governo, garantindo um lugar na chapa para o Senado.

Rio
Candidato a um segundo mandato, o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), prometeu aval a Dilma, mas não admite que ela pise no palanque de seu adversário, Anthony Garotinho (PR). O PT não sabe como administrar o problema, pois Garotinho também espera retribuição por aderir à campanha de Dilma.

Paraná
O PT pode perder o apoio do senador Osmar Dias (PDT), candidato ao governo. Ele está aborrecido com a insistência do PT em lançar Gleise Hoffmann ao Senado porque quer que ela seja vice na chapa. Alega que o PT está atrapalhando as negociações com o PP e flerta com o PSDB de Beto Richa.

Rio Grande do Sul
O PMDB está em cima do muro. O ex-prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, não declarou apoio ao tucano José Serra, nem fechou com Dilma. A base aliada está dividida: o PT lançou Tarso Genro, o PSB apresentou Beto Albuquerque e o PP ameaça fechar aliança com a governadora Yeda Crusius (PSDB).

Bahia
São cada vez mais fortes as estocadas entre o governador Jaques Wagner (PT), candidato à reeleição, e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). Os partidos governistas estão divididos e o PR aderiu a Geddel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil