Plínio e Florestan Fernandes


























































Neste 10 de agosto de 2010 faz 15 anos que o Brasil perdeu Florestan Fernandes, um dos maiores intelectuais brasileiros do século XX. Florestan foi professor da USP, publicou mais de 50 livros e foi um dos principais acadêmicos brasileiros que conseguiu juntar pensamento intelectual com luta política.

Uma das formas que Florestan conseguiu aliar pensamento e luta foi através da relação que manteve com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), estando nas bases teóricas que regem o movimento até hoje.
Plínio foi contemporâneo de Florestan e ambos tiveram que recorrer ao exílio devido à ditadura brasileira. Quando voltou dos EUA, em 1972, Florestan começou a lecionar na PUC-SP e em 1985 recebeu o título de Professor Emérito da USP .

Acreditava que “O subdesenvolvimento, em suma, tem alimentado o desenvolvimento. Esse paradoxo só desaparecerá quando os de baixo lutarem organizadamente contra a espoliação, exigindo transformações profundas na política econômica, nas funções do Estado e na estrutura da sociedade de classes".

Heloísa Fernandes, filha de Florestan, é uma das apoiadoras da candidatura de Plínio Arruda Sampaio à presidência e faz uma importante menção ao seu pai na sua declaração durante a Convenção Nacional do PSOL: “Para mim, apoiar o nome do professor Plínio Arruda Sampaio para candidato à Presidência da República é uma honra e um privilégio. E posso assegurar que se Florestan, o meu pai, estivesse vivo, certamente estaria apoiando o Plínio também, socialista que são ambos.”

Fonte: Plínio 50

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil