Transporte coletivo e manifestações são tema de documentário

Parece ficção, mas é documentário e tem tudo para quem gosta de uma boa história: tema polêmico, suspense, violência e doses de humor

Será lançado no dia 16 de setembro, às 19h30min, no auditório da Reitoria da UFSC, o documentário Impasse, sobre as manifestações dos estudantes contra o aumento da tarifa do transporte coletivo em Florianópolis.

Além de cenas que não foram exibidas em nenhuma tevê, incluindo flagrantes de violência durante os atos públicos ocorridos em maio e junho deste ano, o documentário revela o que pensam usuários, trabalhadores, especialistas e empresários do transporte. Expõe as contradições e as diferenças de posição dos estudantes e dos representantes dos governos municipal e estadual.

Impasse discute ainda questões que se entrelaçam e se completam: Por que a cidade se tornou um símbolo na luta pelo transporte público? O que aconteceu durante a ação da Polícia Militar na Universidade do Estado de Santa Catarina, no dia 31 de maio de 2010? Quais são os limites e os direitos dos movimentos sociais na democracia? Quais são os prós e os contras do atual modelo de transporte? Por que a mobilidade urbana é um dos grandes temas do século XXI? Existe, afinal de contas, saída para este impasse?

Mais de 30 pessoas foram entrevistadas para responder essas questões. E é exatamente a partir dessas declarações que o documentário se torna polêmico e impactante – desde as afirmações dos usuários, passando por estudantes, empresários e policiais, até as afirmações do Promotor do Ministério Público e do Secretário de Segurança Pública e Defesa do Cidadão. Muitas opiniões, impopulares e polêmicas, quase nunca são ditas publicamente.

O documentário, de 80 minutos, realizado pela produtora Doc Dois, é dirigido por Juliana Kroeger e Fernando Evangelista, jornalistas catarinenses com experiências em coberturas de conflitos no Oriente Médio, na África e na Europa. Participaram da equipe de produção estudantes da UFSC, UDESC, Unisul e da Faculdade Estácio de Sá. “É uma produção grande, feita em tempo recorde, graças a uma equipe aguerrida e competente. Sem essa equipe, não teríamos conseguido terminar o documentário e não teríamos tido o resultado que tivemos”, analisa a diretora Juliana Kroeger.

Impasse foi produzido sem leis de incentivo à cultura, com recursos da própria Doc Dois, e recebeu apoio de quinze entidades para a pós-produção e finalização. Com isso, DVDs do documentário serão distribuídos gratuitamente para 100 escolas da Grande Florianópolis e 60 Universidades de todo o Brasil.

As entidades parceiras são a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (Secarte), Associação dos Docentes da Faculdade de Educação da UDESC, Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFSC (Prae), Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC (CFH), Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região, Sindicato dos Eletricitários de Florianópolis e Região (Sinergia), Sindicato dos Professores das Universidades Federais de SC (Apufsc-Sindical), Centros Acadêmicos de História e de Letras da UFSC, DCE da UFSC, empresa Humanum Design e Comunicação, Semana do Jornalismo da UFSC, Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de SC, Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal em SC e TV Floripa.

Contato:
Fernando Evangelista e Juliana Kroeger
docdois@hotmail.com
(48) 9911-1177 / 3206-1930
Luiza Bodenmüller: (48) 9982-1735
Em breve, mais informações e fotos de divulgação no site: www.impasse.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil