Quatro chapas disputam DCE da UFSC

Ao contrário das previsões, as eleições para o DCE da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) terão quatro chapas na disputa, e não cinco. Um acordo de última hora entre dois grupos distintos diminuiu o número de concorrentes.

A Chapa 1 - "Rosa dos Ventos" representa o grupo de situação na gestão do DCE. Participam da chapa o Coletivo 21 de Junho e independentes. Dos 99 membros inscritos, uma integrante é do PSOL. A chapa conta com apoio dos campos Contraponto e Levante, ambos coletivos nacionais do Movimento Estudantil.

A Chapa 2 - "Vez e Voz", possui 86 membros, e possui diversos coletivos de esquerda. O maior deles é a Juventude Comunista Avançando (JCA). Participam ainda o Coletivo Barricadas, União da Juventude Comunista (UJC), Esquerda Marxista (EM) e independentes.

A Chapa 3 - "Pra dizer mais sim do que não", tem a participação da União da Juventude Socialista (UJS), Juventude Demolay (Maçonaria), entre outros estudantes mais alinhados ao campo da direita.

A Chapa 4 - "Vem pra Luta Vem" é hegemonizada por militantes do PSTU, com apoio do Coletivo "Vamos à Luta".

As eleições ocorrem nos dias 17 e 18 de novembro.

Comentários

AF STURT disse…
Além de grupos de indepedentes e do PSTU nas chapas, que sempre tem para sindicatos e dces,a novidade ai fica para a separação da dobradinha PT/PCdoB.O PCB entre outros fazem aliança com dos setores do Partido de Dilma,a EM.Enquanto o partido mais lulista do páis sai sozinho.
Pedro Balão disse…
Fiquei com a dúvida de quem seria a integrante do PSOL na nossa chapa! Além do Contraponto, o Levante também apoiz a chapa. Ah... Na chapa 2 o Barricadas, a UJC e a EM, não chegam ser forças representativas
Ni disse…
A Chapa 2 é formada em sua maioria por independentes... Da UJC tem só um guri, por exemplo.
O Dia Hoje disse…
A chapa 4, “Vem pra luta vem” se formou a partir do chamado à construção de um DCE que reunisse os estudantes que defendem a universidade pública, gratuita, e querem lutar por um ensino de qualidade. Uma chapa que será capaz de mobilizar os estudantes dessa universidade para derrubar as taxas, pressionar a reitoria para construir mais RUs e garantir uma expansão com qualidade.

Durante o último período do movimento estudantil, participamos de muitas lutas e debates, construímos audiências, assembléias, manifestações, abaixo-assinados e passamos nas salas para debater com os estudantes.
Foi assim que construímos as lutas contra o aumento da tarifa do ônibus, os atos no RU, as audiências públicas com o reitor para ele prestar satisfações sobre o Reuni e as Taxas, assim como debates sobre feminismo, o Novo Enem e um seminário sobre o ensino superior e o movimento estudantil. Boa parte dessas lutas só foi possível porque uma parte do movimento estudantil está unificado na Frente de Luta por uma Expansão de Qualidade.

Lutamos por um DCE próximo à vida dos estudantes, que mobilize para resolver os problemas da universidade, agravados pelas metas de expansão do Reuni. Um DCE Independente do governo e da reitoria, que lute por democracia nas deliberações da UFSC, direito a livre expressão e organização dos estudantes. Precisamos de um DCE que lute por uma formação de excelência, que garanta qualidade nos cursos novos e não permita que as metas de expansão do reuni acabem com a qualidade dos cursos antigos. Precisamos de um DCE que cobre do governo mais verbas para a educação, para expandir a universidade com qualidade.
http://vempralutavem.blogspot.com/

Postagens mais visitadas deste blog

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil