Um novo começo




























Nossa caminhada nas eleições 2010 chega hoje ao seu último dia. Nossa luta, entretanto, não chegou ao

fim. Pelo contrário. A guerra apenas começou.

As eleições são apenas uma das várias possibilidades na luta por um mundo e um país melhor. O desafio é enorme, colossal, quase desumano. E para vencer essa árdua batalha, temos que estar presentes em todos os espaços possíveis - todos, nas ruas, nos movimentos, nos sindicatos, nos parlamentos, nos bairros.

Esta eleição marca um momento histórico para o Brasil e marca também o resultado da luta e dos objetivos do PSOL: a reorganização da esquerda brasileira em um partido novo, combativo, ético, que não se rende e não se vende. Um partido para falar o que precisa ser dito, fugindo do nhénhénhem eleitoral, das falsas promessas, do "eu fiz mais do que você".

Por vezes, somos tachados de radicais. Quero lembrar a todas e todos o significado da palavra radical: raíz. E é isso que significa o PSOL e as nossas candidaturas: queremos resolver os problemas de Santa Catarina e do Brasil pela raíz. Para tanto, precisamos fazer a auditoria da dívida, concretizar a reforma agrária, reduzir a jornada de trabalho, socializar a saúde e a educação. Precisamos também, urgentemente, federalizar o sistema Acafe, combater a discriminação às mulheres, aos negros, à população LGBT, garantir direitos iguais para todos.

Precisamos democratizar as comunicações, combater os monopólios privados, impedir a privatização das nossas empresas, como a Celesc, a Casan, os Correios e a Petrobras. Por isso, estamos na luta e colocamos nosso nome à disposição nesse processo. Por isso resolvemos enfrentar a árdua tarefa de concorrer a deputado federal, mesmo com a nossa pequena estrutura financeira. Agradeço desde já a militância do PSOL que participou desse processo, assim como amigos, familiares e apoiadores que estiveram juntos nesse desafio.

Vencendo ou não, a luta não acaba neste três de outubro. E queremos cada um de vocês juntos nessa luta, pela construção de uma sociedade igualitária, sem explorados e exploradores: pela construção do socialismo.

Conto com o apoio de cada uma e de cada um neste domingo, com Tânia Ramos para deputada estadual, Leonel Camasão para deputado federal, Paulo Afonso para o senado, Professor Valmir para governador e Plínio para presidente. Vote 50.

Um grande abraço a todas e todos.
Leonel Camasão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil