No final do mandato, Lula cria Conselho LGBT e INSS autoriza pensão para casais homo

Há 21 dias do término do seu mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criou o Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT, justamente no dia em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos faz aniversário.

A data também foi lembrada por outras esferas governamentais: o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) publicou portaria, também hoje, reconhecendo os direitos dos homossexuais à pensão no caso de união estável.

Sem sombra de dúvida, as duas medidas são avanços nos direitos civis da população LGBT. Mas porque deixá-las para fazer apenas no oitavo e último ano do seu governo?

A explicação, provavelmente, é política. Lula não quis se desgastar durante o mandato, e aprovou essas decisões - que apesar de justas, são polêmicas - na finaleira de seu mandato. Não será um embate para Dilma Roussef resolver e a grande maioria da população não ficará sabendo.

Reconhecemos o avanço, mas é lamentável que se tenha que fazer as coisas dessa maneira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil