Justiça condena Globo, RBS TV e Estado de Santa Catarina pelo caso do falso "Maníaco da Bicicleta"

"Retrato falado" de Aluísio, publicado no A Notícia em 7 de novembro de 2000. Foto foi fraudada pela Polícia Civil para "acalmar"  a sociedade. Imagem foi divulgada em rede nacional pelo Fantástico, da Globo
Leonel Camasão
O Grupo RBS, a TV Globo e o Estado de Santa Catarina foram condenados nesta quinta-feira (24) pela Justiça de Joinville a indenizar o cidadão Aluísio Plocharski em R$ 270 mil. A decisão é resultado de uma ação movida pela família de Aluísio, falsamente acusado de ser o "Maníaco da Bicicleta" , criminoso que ficou conhecido na cidade por ser autor de vários crimes sexuais em Joinville.

O caso ocorreu no final do ano 2000, quando mulheres foram atacadas por um estuprador que se movia na noite da cidade em uma bicicleta. O medo tomou conta da cidade, e o caso ganhou repercussão na imprensa. Para acalmar a populaçã, a Polícia Civil de Joinville fraudou um retrato falado a partir de uma foto de Aluísio Plocharski. A foto foi digitalizada e alterada para se parecer com um retrato falado e foi publicada no jornal A Notícia. 

A história se repetiu

A operação foi comandada pelo delegado de polícia José Dirceu Silveira Júnior, que hoje, comanda a Delegacia de Trânsito em Joinville. Dirceu também comandou a operação que prendeu o pedreiro Oscar do Rosário, acusado de estuprar uma criança e afogá-la na pia batismal de uma igreja adventista, em Joinville. O caso é bastante polêmico, mas não há evidências de que Oscar seja o culpado. Recentemente, ele foi inocentado pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Com a divulgação do retrato, o rosto de Aluísio foi parar no dominical Fantástico, da TV Globo, e sua vida foi destruída. Perdeu o emprego, amigos, começou a ser apontado na rua e quase foi vítima de linchamentos. Com o seu rosto exposto como se fosse o de um bandido em série, Aluísio se viu cercado dentro de casa,  não conseguiu emprego, quase acabou agredido por populares nas poucas vezes em que arriscou sair à rua e ainda teve sua imagem manchada pra sempre. Inocente, ele se viu preso dentro de casa, com graves implicações psicológicas. O verdadeiro responsável pelos estupros era o mecânico ferramenteiro, Marlon Cristiano Duarte, 26 anos, que foi reconhecido por todas as vítimas.

Comentários

guilherme disse…
Quem comandava a geral do A Notícia na época da publicação das matérias era a Tina Camilo, hoje chefe no ND. E que publicou a matéria sobre a indenização hoje.

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil