Bancários do Maranhão aprovam desfiliação da CUT

NÃO MAIS. Logo dos bancários deverá retirar
marca da CUTapós desfiliação da Central. 

O sindicato dos bancários do Maranhão (SEEB-MA) irá se desfiliar da CUT. A decisão foi tomada pela categoria bancária, em plebiscito sobre o tema. Mais de 70% dos votos foram favoráveis à desfiliação. 

De um total de 3844 bancários aptos a votar, 2689 (69,98%) compareceram às urnas. Destes, 1855 (69,58%) votaram no SIM, isto é, pela desfiliação, contra 811 (30,42%), que votaram pelo não.

A vitória demonstrou como os bancários maranhenses estão descontentes com os rumos que a CUT tomou, e autorizam a diretoria do SEEB/MA a ultimar o processo de desfiliação dessa Central. Para Eloy Natan, diretor de políticas sindicais do SEEB-MA, “este é um momento histórico, onde os bancários do Maranhão decidem se somar aos esforços da construção de uma alternativa para os trabalhadores”.

Para David Sá Barros, presidente do SEEB-MA, “com essa esmagadora votação (cerca de 70% dos votos válidos) no SIM, os bancários do Maranhão deram uma resposta contundente à degeneração da CUT. Espero que este exemplo se multiplique pelos outros sindicatos de bancários do país afora. Infelizmente essa Central hoje representa um projeto de poder que relega os interesses dos trabalhadores ao plano secundário. Vamos ajudar a construir uma alternativa de organização que realmente represente os trabalhadores”, afirmou.

Com informações do SEEB-MA

Comentários

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) tem seus problemas de direção, mas não é saindo dela que se chegará a solução desses problemas. A CUT ainda representa a maior central sindical do Brasil. A classe trabalhadora se vê representada por essa entidade, embora hoje seja pouco atuante e esteja lado a lado dos interesses da burguesia.
Leonel Camasão disse…
Caro Eduardo.
Entendo o posicionamento, mas discordo. Se seu argumento fosse verdadeiro, deveríamos estar todos no PMDB, afinal, é o maior partido do Brasil e muitos, muitos trabalhadores confiam nessa legenda. Infelizmente.

O que deveria definir a permanência ou não numa central não é o que supostamente a "classe" pensa, até porque a grande maioria nem sabe o que é uma central sindical, quanto mais, o que é a CUT.

abs
Só para fazer uma correção: O PT ainda é o maior partido do Brasil e segundo maior da américa do sul, perdendo só para o PSUV. E mesmo que o PMDB fosse o maior, ele não representa os interesses da classe trabalhadora. De forma alguma estou dizendo que o PT de hoje tenha a atuação correta, e nem a CUT. Mas na sua essência, ele tem ideais e uma história.

Sobre a base nem saber o que é uma central sindical, como diz, é preocupante ficar deslocando as massas a partir dos interesses das direções dos sindicatos. Antes de tudo, é fundamental que as entidades de classe façam o trabalho de base correto, não apenas se contentem com o aparelhamento.
Leonel Camasão disse…
Corrigindo a sua correção, Eduardo. O maior partido do Brasil é o PMDB, com 2.325.289 filiados em todo o país. O segundo maior partido é o PT, com 1.421.584. As informações são do TSE. http://www.tse.gov.br/sieeeleitoradoweb/eleitorado/filiacao_partidaria/redres_filiacao_partidaria.jsp

Óbvio que o PMDB não representa os interesses da classe trabalhadora. Assim como o PT. o PMDB também tem história (de luta pela democratização do país) e não é por isso que agrupamentos de esquerda permanecem no PMDB. De fato, não existe mais diferenças substanciais em ambas as siglas. E o mesmo ocorre com as centrais. Qual a diferença entre CUT e Força Sindical? Um passado de lutas e um presente pelego. Apenas isso. E isso não é, nem de longe, suficiente para ficar na CUT, ou no PT.

Postagens mais visitadas deste blog

Uma homenagem ao Movimento Estudantil

Sandro Silva renuncia mandato de vereador e Carlito poderá ter maioria na Câmara

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil