Até os mortos assinam lista para legalizar PSD

Começaram bem, hein?
O novo partido  dos deputados Kennedy Nunes e Darci de Matos - o PSD - nem ainda foi legalizado e já está envolvido em casos de corrupção. Matéria do Diário Catarinense de hoje mostra que eleitores mortos apareceram "assinandO" as listas que pedem a legalização do partido. 

Os eleitores mortos que aparecem na listagem são Ivo Pavan Libardoni, Herminio Joacir Cacciatori, Affonso Martignago, João Dall Pont e Diva Lucena Libardoni. 

A suspeita de fraude ganhou corpo, quando o Cartório Eleitoral de São Lourenço, no oeste do estado, constatou que, de 130 assinaturas entregues, apenas sete tiveram sua veracidade comprovada. Ao todo, eram cinco assinaturas de pessoas que já morreram. Outras 117 eram de pessoas que afirmam não ter assinado as listas de apoio, assinaturas duplicadas e outras as quais não foram confirmadas como verídicas. 

Mas não é só em Santa Catarina que as fraudes apareceram. Em São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab, idealizador do PSD, colocou funcionários da prefeitura para coletar assinaturas de legalização para o partido. 

Para se legalizar, o PSD precisa coletar 482 mil assinaturas de eleitores em apoio à formalização do partido. A regra foi criada no início dos anos 2000, e aplicada pela primeira vez quando da criação do PSOL, que se legalizou em 2005. 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil