Presidente da UCE define como baixaria acusação de fraude na eleição em Jaraguá do Sul

Depois de acusações de fraudes nas eleições para a presidência da União Catarinense dos Estudantes (UCE) neste domingo, em Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, o atual presidente da entidade, Vander Rodermel, classificou como "baixaria" o caso envolvendo a chapa opositora. Segundo ele, o congresso não foi tumultuado, mas a chapa três teria causado a confusão depois do resultado da eleição.

Ele explica que dois fiscais de cada chapa ficaram perto das urnas e tinham poder de barrar quem não tivesse o crachá, obrigatório para a votação, de acordo com as normas. Mesmo assim, ele garante que nenhum dos fiscais falou sobre possíveis irregularidades, como suspeitava o presidente do DCE da Unerj e membro da articuladoria estudantil, Luis Fernando Almeida.

Sobre as urnas que teriam sido roubadas, segundo informações do candidato à presidência pela chapa três, Edenilson do Nascimento Peter, Rodermel diz que todo o processo de apuração foi filmado e que as urnas com os votos foram entregues à comissão eleitoral do congresso.

Rodermel diz que está conversando com advogados e pretende responsabilizar judicialmente as pessoas que fizeram a denúncia e estariam tentando "prejudicar a imagem da UCE".

— Isso é imaturidade política de quem perdeu — dispara.

Segundo o presidente do DCE da Unerj, que se declara de oposição, a intenção é levar o caso à Justiça. Ele considera que houve o roubo de uma das urnas.

— Vamos pedir que o delegado dê continuidade ao caso — garantiu.

Um Boletim de Ocorrência foi feito ainda no domingo, após a eleição, na delegacia de Polícia Civil de Jaraguá do Sul. Representantes dos estudantes de oposição estariam dispostos a entrar com uma ação para pedir a impugnação do resultado.

O advogado da chapa três não foi encontrado pela reportagem para falar sobre o caso.

Fonte: A Notícia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil