A questão do Ministério dos Esportes: A regra não ficou clara!


*Por Antônio Carlos de Andrade (Toninho do PSOL)

A população do Distrito Federal e de todo o país, assiste estarrecida, mais uma vez, uma série de gravíssimas denúncias de corrupção no Ministério dos Esportes, que vem ocorrendo desde a época em que o atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, encabeçava aquele órgão durante o governo Lula. Na atualidade, sob o governo da Presidenta Dilma Roussef, os escândalos continuam vindo à tona.

Começaram com as graves denúncias contra o ex-Ministro Palocci, atingiu Alfredo Nascimento na pasta dos Transportes, Pedro Novais do Ministério do Turismo, Wagner Rossi do Ministério da Agricultura e agora chega a Orlando Silva, Ministro dos Esportes, ex-Presidente da UNE – União Nacional dos Estudantes e destacado dirigente do PC do B, partido da base de sustentação do governo petista.

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Será que ninguém disse à Sra. Dilma (ou ela mesma não conhecia) que quem ela estava nomeando para importantes e estratégicos cargos no governo federal eram “fichas sujas” ou estavam envolvidos em escândalos? E os tais órgãos de inteligência da Presidência da República não informaram nada à Chefe da Nação sobre quem eram esses auxiliares?

Diante da situação, O PSOL exige a apuração de todas as denúncias veiculadas por revistas e jornais contra o Ministro Orlando Silva e contra o governador Agnelo Queiroz, bem como o imediato afastamento dessas autoridades de seus cargos, enquanto durarem as investigações sobre o escândalo das propinas e roubos do “projeto segundo tempo”, do Ministério dos Esportes, desde o ano de 2003 até o presente momento.

Se nada ficar comprovado contra essas autoridades, que sejam reconduzidas a seus cargos. Esse deve ser o procedimento indicado numa situação como essa.

Além disso, apoiamos a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara Legislativa do Distrito Federal para apuração de todas as denúncias até aqui publicadas, sem prejuízo das iniciativas em curso de iniciativa do Procurador Geral da República, Dr. Roberto Gurgel, que também considera muito grave os fatos denunciados pelos meios de comunicação. Esperamos que todos os deputados e deputadas distritais que não tenham vinculação com os esquemas denunciados, assinem prontamente o pedido de CPI.

Dessa forma, estarão dando uma grande contribuição para a apuração isenta das denúncias veiculadas, demonstrando, na prática, que aqueles que não tem “rabo preso”, devem fazer esse gesto em favor da população, que exige a mais completa apuração.

Conclamamos todos os setores verdadeiramente democráticos, que querem mudanças profundas na vida política do País, que tem estado nas ruas de diversas capitais lutando e mobilizando contra essas práticas nefastas, principalmente aqui no Distrito Federal, que entrem decididamente nessa mobilização contra a corrupção.

O PSOL está fazendo a sua parte, exigindo a mais completa apuração de todas as denúncias, buscando mobilizar amplas parcelas com as quais temos contatos e presença militante, para ganhar os espaços das ruas, junto à classe trabalhadora e aos lutadores sociais para extirpar de nossa sociedade a corrupção e o roubo!

Brasília, 20 de outubro de 2011

*Antônio Carlos de Andrade (Toninho do PSOL) – Presidente do PSOL-DF

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil