Mostra Cinevídeo Joinville 2011 começa nesta quinta-feira, dia 24


Gabriel Nunes
21/11/2011

De um lado, produções com muita criatividade e poucos recursos. De outro, curtas mais convencionais e criados com profissionalismo. A Mostra Cinevídeo de Joinville 2011 promove entre os dias 24 e 27 de novembro um encontro de linguagens feito por quem tem habilidades ou não no comando de uma câmera – mostras nacional e catarinenses, oficina de crítica de cinema e o fórum setorial de cultura audiovisual integram a programação gratuita no Sesc.

Na quinta-feira, às 21h30, o GNC Garten sedia a abertura do evento com o longa-metragem “Elvis e Madona”. Escrito e dirigido por Marcelo Laffite, a comédia retrata o romance entre um travesti chamado Madona (Ígor Cotrim) e uma lésbica chamada Elvis (Simone Spoladore), que sonham em ascender na vida, mas vivem numa realidade medíocre. “Elvis e Madona” chega a Joinville depois de ter passado por festivais no Rio de Janeiro, São Paulo, Nova York, Paris, Oslo e Varsóvia. Após a exibição, o diretor fará um debate sobre a produção.

A oficina “Da Máquina de Escrever à Blogsfera: Metamorfoses da Crítica de Cinema” acontece na sexta-feira, às 14h, com a presença do jornalista e tradutor José Geraldo Couto. O convidado abordará sua experiência desde o trabalho durante mais de 20 anos na redação da Folha de São Paulo até a criação do blog “No Cinema”, hospedado no site do Instituto Moreira Salles.

Ainda na sexta-feira, doze curtas-metragens compõem a Mostra Nacional. As produções vem de São Paulo, Paraíba, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, apresentando um panorama sobre a produção audiovisual brasileira. Há também um curta norte-americano, “O Quarto”, e a presença do diretor Ricardo Weschenfelder, que apresentará “Se Eu Morresse Amanhã”. As sessões começam às 20h, no Sesc.

Na tarde de sábado, a política audiovisual de Joinville será discutida no Fórum Setorial de Cultura, das 16h. À noite, às 20h, a Mostra Competitiva Catarinense de Curtas reúne seis produções de Joinville, Florianópolis e São José. O evento encerra no domingo a partir das 19h com a Mostra Competitiva Catarinense de Documentários e a exibição do longa-metragem “Ditadura Reservada”, de Fabrício Porto, um resgate de histórias de quem vivenciou a ditadura militar na região Norte de Santa Catarina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma homenagem ao Movimento Estudantil

Sandro Silva renuncia mandato de vereador e Carlito poderá ter maioria na Câmara

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil