Mostra Cinevídeo Joinville 2011 começa nesta quinta-feira, dia 24


Gabriel Nunes
21/11/2011

De um lado, produções com muita criatividade e poucos recursos. De outro, curtas mais convencionais e criados com profissionalismo. A Mostra Cinevídeo de Joinville 2011 promove entre os dias 24 e 27 de novembro um encontro de linguagens feito por quem tem habilidades ou não no comando de uma câmera – mostras nacional e catarinenses, oficina de crítica de cinema e o fórum setorial de cultura audiovisual integram a programação gratuita no Sesc.

Na quinta-feira, às 21h30, o GNC Garten sedia a abertura do evento com o longa-metragem “Elvis e Madona”. Escrito e dirigido por Marcelo Laffite, a comédia retrata o romance entre um travesti chamado Madona (Ígor Cotrim) e uma lésbica chamada Elvis (Simone Spoladore), que sonham em ascender na vida, mas vivem numa realidade medíocre. “Elvis e Madona” chega a Joinville depois de ter passado por festivais no Rio de Janeiro, São Paulo, Nova York, Paris, Oslo e Varsóvia. Após a exibição, o diretor fará um debate sobre a produção.

A oficina “Da Máquina de Escrever à Blogsfera: Metamorfoses da Crítica de Cinema” acontece na sexta-feira, às 14h, com a presença do jornalista e tradutor José Geraldo Couto. O convidado abordará sua experiência desde o trabalho durante mais de 20 anos na redação da Folha de São Paulo até a criação do blog “No Cinema”, hospedado no site do Instituto Moreira Salles.

Ainda na sexta-feira, doze curtas-metragens compõem a Mostra Nacional. As produções vem de São Paulo, Paraíba, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, apresentando um panorama sobre a produção audiovisual brasileira. Há também um curta norte-americano, “O Quarto”, e a presença do diretor Ricardo Weschenfelder, que apresentará “Se Eu Morresse Amanhã”. As sessões começam às 20h, no Sesc.

Na tarde de sábado, a política audiovisual de Joinville será discutida no Fórum Setorial de Cultura, das 16h. À noite, às 20h, a Mostra Competitiva Catarinense de Curtas reúne seis produções de Joinville, Florianópolis e São José. O evento encerra no domingo a partir das 19h com a Mostra Competitiva Catarinense de Documentários e a exibição do longa-metragem “Ditadura Reservada”, de Fabrício Porto, um resgate de histórias de quem vivenciou a ditadura militar na região Norte de Santa Catarina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Norival Silva pega 12 anos por corrupção passiva

Uma homenagem ao Movimento Estudantil

Sandro Silva renuncia mandato de vereador e Carlito poderá ter maioria na Câmara