Comparativo entre pesquisas mostra Tebaldi como opção eleitoral do bloco conservador em Joinville


Clique para ver a imagem ampliada
Mesmo liderando pesquisas, tucano poderá ficar inelegível por ficha suja

Um comparativo realizado entre as pesquisas eleitorais dos grupos RBS e RIC-Record mostram que o ex-prefeito e deputado federal Marco Tebaldi (PSDB) se consolidou como "opção" do bloco conservador em Joinville. Cenários idênticos testados pelas pesquisas Mapa/RBS (em outubro de 2011) e Accord/RIC-Record (em março de 2012) mostram o crescimento do tucano e a queda brusca dos pré-candidatos do PSD e do PMDB. 

Mesmo liderando em todos os cenários, Tebaldi poderá ficar fora da eleição. Uma de suas condenações em primeira instância está para ser julgada no STF ainda nesse semestre. Em caso de condenação, Tebaldi se tornará ficha suja, portanto, inelegível. 

Apenas Tebaldi e Carlito cresceram


No cenário onde Darci de Matos é o candidato do PSD, os únicos nomes que cresceram foram o de Tebaldi, que subiu 15,5 pontos, e do atual prefeito Carlito Merss (PT), com acréscimo de 5,9 pontos. 

Por outro lado, Darci despenca em quase 14 pontos; Udo Dohler (PMDB) perde 6,4 pontos. As candidaturas "alternativas" que também fazem parte do bloco conservador também perdem espaço. Dr. Xuxo (PR) perde 1,6 ponto e Sandro Silva (PPS) perde 3,1 pontos. 

Clique para ver a imagem ampliada
Já no cenário onde o candidato do PSD é Kennedy Nunes, a queda das intenções de voto no PSD é ligeiramente menor: 11,2 pontos. Udo perde quase 10 pontos e chega ao empate na terceira posição com Carlito Merss, ambos com 12 pontos. 

Dr. Xuxo e Sandro Silva acumulam perdas maiores, na ordem de 4 pontos e 3,6 pontos, respectivamente. Rogério Novaes (PV) perde um ponto.

As pré-candidaturas de Rodrigo Coelho (PDT) e Leonel Camasão (PSOL) seguiram estáveis. O primeiro, com 2%, e o segundo, com menos de 1%. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil