PT quer tirar do ar programa do PSOL que comenta cassação da candidatura de Carlito

A coligação “Joinville Melhor Para Todos” entrou na Justiça para tirar do ar o programa do PSOL que comenta a cassação da candidatura de Carlito Merss (PT). O programa foi ao ar na noite de segunda-feira.

Dedicado ao tema “corrupção”, o programa compara outras candidaturas com problemas na Justiça com a candidatura do PSOL. “Não há foco em um candidato específico. Ilustramos os vídeos com as ações do PSOL que visam coibir irregularidades das campanhas do PT, PMDB e do PSDB”, afirma Leonel Camasão, candidato do PSOL.

Veja o programa

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=videoseries?list=UUjoNuASf59phn0uowhr0Q5g&hl=en_US]

Na ação movida pelo PT, a coligação acusa o PSOL de divulgar “conteúdo ofensivo” e de “incutir nos eleitores” a informação de que Carlito Merss seria “ficha suja”.

“Nosso programa foi bastante cuidadoso para fazer respeitar a lei. Nenhum candidato é chamado de ficha-suja em nenhum momento. Apenas ressaltamos a qualidade de ficha limpa da nossa candidatura”, afirma Camasão.

“Não há ofensa pessoal ao candidato Carlito nem ao seu partido. Mostramos informações amplamente divulgadas pela imprensa para que o eleitor possa comparar os candidatos”, completa.

O PSOL protocolará ainda hoje (quarta) a contestação, assinada pelos advogados Tácio Piacentini e Clarissa de Medeiros.

Para Leonel, PT quer vetar comentários sobre cassação

Para o candidato do PSOL, o PT entrou com a ação não pela suposta ofensa, mas sim, para censurar o direito do PSOL de comentar a cassação da candidatura de Carlito Merss. “Foi o que sentimos. É uma tentativa de tirar o programa do ar para que não possamos falar sobre a cassação da candidatura do PT”, acredita. O PT está recorrendo da decisão na Justiça.

No entendimento da Justiça, Carlito Merss, enquanto Prefeito, gastou mais de R$ 7 milhões em publicidade oficial no primeiro semestre de 2012, superando a média dos três anos anteriores de mandato, caracterizando abuso de poder político e econômico. A juiza Hildemar Meneguzzi de Carvalho decidiu pela cassação do registro de candidatura, conforme pedia a ação movida pelo Ministério Público Eleitoral.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Primeiras impressões sobre os protestos no Brasil