Leonel assina compromisso com reivindicações dos servidores municipais

O candidato Leonel Camasão protocolou na última semana uma resposta às reivindicações dos servidores públicos municipais de Joinville. O Sinsej, sindicato da categoria, enviou ofício aos candidatos a prefeito com uma lista de reivindicações.

Leonel foi o único candidato que assumiu, textualmente, compromisso com todas as reivindicações dos servidores municipais. No ofício em resposta ao Sinsej, o socialista afirma "total apoio e compromisso com as reivindicações dos servidores municipais de Joinville e esperamos, caso eleitos, ter uma relação fraterna, transparente e baseada no diálogo com o sindicato".

Em outro trecho, Leonel critica a legislação, como a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). "São mecanismos criados contra os trabalhadores, para garantir apenas a estabilidade de um regime que excluí milhares de pessoas dos seus direitos", afirma o documento.

Dentre os candidatos, Marco Tebaldi (PSDB) foi o único que não respondeu ao Sinsej.

Leia na íntegra a resposta de Leonel Camasão aos servidores municipais

Aos trabalhadores do serviço público municipal, por meio da direção do Sinsej.
Companheiros e companheiras

O nosso partido, o PSOL, entende-se como um aliado das lutas dos trabalhadores. Por isso, recebemos com muita alegria as reivindicações dos servidores municipais. Das sugestões enviadas pelo Sinsej, já incorporamos de imediato algumas ao plano de governo do PSOL.

Eu mesmo venho do movimento sindical, e sou diretor licenciado do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina. Sabemos da importância de garantir mais direitos aos trabalhadores. Por isso, declaramos total apoio e compromisso com as reivindicações dos servidores municipais de Joinville e esperamos, caso eleitos, ter uma relação fraterna, transparente e baseada no diálogo com o sindicato.

Sabemos também das dificuldades impostas pela legislação atual, como a Lei de Responsabilidade Fiscal, que são mecanismos criados contra os trabalhadores, para garantir apenas a estabilidade de um regime que excluí milhares de pessoas dos seus direitos.

Queremos deixar claro ainda que eu e o PSOL temos compromisso com o serviço público de qualidade, contra as privatizações, parcerias público-privadas e também somos contrários as terceirizações por meio das organizações sociais.

Estaremos à disposição para dialogar com o Sinsej as saídas para cada problema encontrado, em especial, a crítica situação do Vitaserv, que não dá conta da demanda dos servidores e esta num verdadeiro caos. Não temos uma solução pronta para este problema, mas junto aos trabalhadores da Prefeitura Municipal, queremos abrir um amplo diálogo para encontrar a melhor solução no menor prazo possível.

Sabemos que os servidores, que empenharam grandes lutas na atual gestão do Sinsej, estão decepcionados com o atual governo. Nós também estamos. Mas temos que ter a clareza de que, se está ruim agora, os governos passados eram piores ainda. Não podemos, nestas eleições, nos satisfazer com a candidatura “menos pior”. Os servidores municipais de Joinville tem opção nessas eleições. Por isso, peço o voto no PSOL, o voto no 50 no dia 7 de outubro.

Saudações socialistas

Leonel Camasão
Candidato a Prefeitura de Joinville pelo PSOL

Gabriel Chati
Candidato a Vice-Prefeito pelo PSOL

Comentários

Fabio disse…
Sinceramente, ser contra a LRF me faz pensar na inocência do socialismo, ou se o socialismo é usado apenas como uma palavra bonita em alguns casos. Espero que seja o primeiro caso. Pois sei que certas convicções políticas as vezes são levada com um certo fervor religioso.E espero que não seja o caso de vosso partido, que nutro com grande simpatia. Infelizmente a LRF foi elaborada para amenizar a corrupção que atinge federação,estado e município,e a culpa não é da lei,que pode limitar um pouco os gasto com recursos humanos , mas ela é remédio amargo contra a corrupção que assola nosso estado. Imaginem se não fosse a lei,este prefeitos colocariam ainda mais cabides de emprego, usariam as verbas ainda de maneira mais irregular, o que pioraria ainda mais os serviços públicos. E não entendo, Psol não falou do Carlito que fez uso indevido de verba para de publicidade, sei que é outra lei. Mas a finalidade da LRF é a mesma.

Postagens mais visitadas deste blog

Norival Silva pega 12 anos por corrupção passiva

Uma homenagem ao Movimento Estudantil

Sandro Silva renuncia mandato de vereador e Carlito poderá ter maioria na Câmara