Presentão de Natal

O prefeito Udo Döhler deverá decidir nos próximos dias se acata o pedido de mais um aumento abusivo nas tarifas de ônibus da cidade nos próximos dias. 

A jogada ensaiada em nada diferencia o governo Udo de seus antecessores Tebaldi (PSDB) e Carlito (PT). O roteiro é simples: as empresas aparecem no final do ano, chutando alto no pedido de aumento da tarifa. O prefeito de plantão (no caso, Udo), dá um "aumento menor" e posa como se estivesse enfrentando os interesses das empresas de ônibus (quando de fato, estão ligados até a medula). Um belo presente de Natal para a população.

Desta vez, o "bode na sala" é uma tarifa de R$ 3,40. Caso concedida integralmente, representa um acréscimo de quase 14% no preço atual. A época natalina é escolhida justamente por ser o período em que a cidade se esvazia por conta das férias, festas e migração em massa para o litoral catarinense.

Quem mais sofre com os sucessivos aumentos na tarifa de ônibus são os cerca de 21 mil estudantes de ensino médio e boa parte dos 25 mil estudantes de ensino superior, que via de regra, dependem do transporte coletivo para chegar ao local de estudo. Desempregados, donas de casa e trabalhadores informais são outra parcela diretamente afetada pelo aumento. Indiretamente, toda a sociedade é afetada, com impactos negativos na mobilidade urbana, no comércio, na distribuição de renda, no meio ambiente e na efetivação do direito à cidade.

Por isso apontamos, há alguns anos, a necessidade de alterarmos a lógica do transporte coletivo na cidade. Mais do que fazer licitação de verdade para enfrentar os monopólios, é preciso um sistema que efetive o direito à cidade. Por isso, defendemos o projeto Tarifa Zero, já implantado em diversas cidades do mundo e até mesmo do Brasil. Este é o único caminho para reverter essa lógica de exploração e monopólio, sendo um avanço considerável na área de mobilidade urbana e com desdobramentos positivos para toda a sociedade.

Histórico

No início de seu mandato, Udo aplicou um golpe de marketing em relação a tarifa de ônibus. Divulgaram bravamente - em versão comprada parcialmente pela imprensa local - que Udo "reduziu" a tarifa de R$ 3,00 para R$ 2,90. Na verdade, o governo Carlito havia assinado aumento de R$ 2,75 para R$ 3,00, e Udo aplicou novo decreto aumentando de R$ 2,75 para R$ 2,90. Udo deu um aumento menor, mas jamais havia reduzido a tarifa.

Em junho de 2013, no meio das mobilizações que agitaram o país, o governo federal reduziu impostos no setor de transporte coletivo, que permitiriam que a tarifa em Joinville passasse para R$ 2,70, uma redução de 20 centavos. Udo, porém, aplicou apenas 10 centavos de redução, deixando os outros 10 centavos de lucro para para a Gidion e Transtusa.

#TarifaZeroJá

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'

Chico Alencar lança candidatura e Câmara tem agora 4 postulantes

Uma homenagem ao Movimento Estudantil